domingo, 1 de agosto de 2010

Deficiência mental

Definição adotada pela Associação Americana de Deficiência Mental e informações gerais sobre as causas desse tipo de comprometimento
Segundo a definição adotada pela AAMR (American Association of Mental Retardation - Associação Americana de Deficiência Mental), a deficiência mental é um "funcionamento intelectual significativamente abaixo da média, coexistindo com limitações relativas a duas ou mais das seguintes áreas de habilidades adaptativas: comunicação, auto-cuidado, habilidades sociais, participação familiar e comunitária, autonomia, saúde e segurança, funcionalidade acadêmica, de lazer e trabalho. Manifesta-se antes dos dezoito anos de idade."

Apesar dos avanços recentes da medicina, muitas vezes não é possível, ainda, estabelecer com clareza a causa da deficiência mental de uma pessoa, mas três tipos de fatores podem ser apontados:


•pré natais (que incidem desde a concepção do bebê até o início do trabalho de parto)


•perinatais (que agem do início do trabalho de parto até o 30º dia de vida do bebê)


•pós-natais (que atuam do 30º dia de vida do bebê até o final da adolescência)

São exemplos de fatores pré natais a desnutrição materna, a má assistência médica à gestante, a presença de doenças infecciosas como sífilis, rubéola e toxoplasmose na mãe, efeitos colaterais de medicamentos teratogênicos (ou seja, que afetam a estrutura e o desenvolvimento da anatomia do bebê), alterações cromossômicas, como a síndrome de Martin Bell e a síndrome de Down, e as alterações no metabolismo (por exemplo, a fenilcetonúria, a síndrome de Williams e a esclerose tuberosa).

Entre os fatores perinatais da deficiência mental estão os traumas de parto, a oxigenação cerebral insuficiente, a prematuridade e a incompatibilidade sangüínea entre mãe e filho devido à presença do fator RH em apenas um dos dois.

Desnutrição, desidratação grave, carência de estimulação global e infecções como as meningoencefalites e o sarampo estão entre as causas pós natais dessa deficiência. Outros fatores são o envenenamento por produtos químicos com chumbo e mercúrio e a neurocisticircose (quando a larva da taenia solium, popularmente chamada de solitária, aloja-se no cérebro). Contudo, numerosos fatores emocionais, alterações nas atividades nervosas, distúrbios de aprendizagem, alterações específicas de linguagem ou dislexia, psicoses, baixo nível sócio econômico ou cultural, além da carência de estímulos podem explicar a impossibilidade de ajustamento social adequado em uma pessoa sem que haja necessariamente uma deficiência mental.

O portador de deficiência mental não tem alterada a percepção de si mesmo e da realidade e é, portanto, capaz de decidir o que é melhor para ele. Quando a percepção encontra-se alterada, a condição é denominada doença mental, que é um quadro totalmente diferente.

É importante destacar que, em média, 20 a 30% dos deficientes mentais apresentam associação com algum tipo de doença mental, como a síndrome do pânico, a depressão e a esquizofrenia. Essas doenças prejudicam, primariamente, outras áreas do cérebro que não a da inteligência, como, por exemplo, a da capacidade de concentração e a do humor.

Orientações para a convivência com os portadores de deficiência mental
Entenda a diferença entre deficiência e doença mental

•Aja naturalmente ao dirigir-se a uma pessoa com deficiência mental;


•Trate-a com respeito e consideração, de acordo com sua idade. Lembre-se que a pessoa com deficiência mental não é uma "eterna criança";


•Não a ignore. Cumprimente e despeça-se dela normalmente, como faria com qualquer pessoa;


•Dê atenção a ela, converse com calma e vai ver como pode ser agradável;


•Não a superproteja. Deixe que ela faça ou tente fazer sozinha tudo o que puder. Ajude apenas quando for realmente necessário;


•Não subestime sua inteligência. As pessoas com deficiência mental levam mais tempo para aprender, mas podem adquirir muitas habilidades intelectuais e sociais;


•Não se deixe guiar por mitos; cada pessoa é diferente das outras e isso não muda apenas porque alguém é portador de deficiência mental.


Mitos sobre deficiência mental




•Toda pessoa com deficiência mental é doente;


•Pessoas com deficiência mental morrem cedo, devido a problemas de saúde incontornáveis;


•Pessoas com deficiência mental precisam usar remédios controlados;


•Pessoas com deficiência mental são agressivas e perigosas, ou dóceis e cordatas;


•Pessoas com deficiência mental são generalizadamente incompetentes;


•Existe um culpado pela condição da deficiência;


•O meio ambiente pode fazer pouco por pessoas com essa deficiência;


•Pessoas com deficiência mental só estão "bem" com seus "iguais";


•Para o aluno com deficiência mental, a escola é apenas um lugar para exercer alguma ocupação fora de casa.

Fonte: tele-centros.org

Nenhum comentário: